24.2.14

esperança

Os primeiros tempos não foram difíceis. Estava habituada a viajar constantemente para destinos diversos, ainda que por curtos períodos de tempo. Acho que saí de casa com as malas mais do que cheias, mas sem ter verdadeira consciência de que desta vez não ia para daí a uma semana voltar. É certo que joguei pelo seguro e ainda antes de ter posto os pés no avião para ir, já eu tinha comprado a primeira viagem de regresso para daí a 3 semanas. Fim-de-semana relâmpago em Portugal e poucas horas depois estava de volta a Itália. Andava com o coração embargado e pouco depois descobri que afinal não alojava só um coração, mas dois. Muitas novidades em poucas semanas. Mas apesar da parte menos boa desta história lidei bem com tudo o que me aconteceu. Descobri-me forte, inquebrável e sozinha. Era Verão. Os dias longos e quentes trazem-me uma energia e uma coragem que o Inverno me retira. O frio definha-me, suga-me a vontade e os sorrisos. Agora, 9 meses depois da primeira partida, estou cansada deste frio que parece não querer ir embora. Olho constantemente para o calendário à espera que as semanas passem e me seja devolvido o calor morno que me aquece por fora e por dentro e me faz acreditar que tudo é possível. Imagino que estes dias seriam muito mais difíceis de ultrapassar se estivesse sozinha. Felizmente já te juntaste a mim há meio ano. A tua presença faz-me sentir menos a ausência daqueles que achava que estariam sempre lá, apesar da distância, mas que desapareceram ao longo destes 9 meses. 9 meses é um número curioso. Estou em Itália há 9 meses. Se tudo tivesse corrido bem com a primeira gravidez, no início deste mês teríamos deixado de ser dois e teríamos passado a ser três. Quando em Julho soube da má notícia pensei que gostaria de voltar a engravidar até à data prevista do parto. Seria uma forma de sentir que afinal o que mais queria não me tinha sido retirado, mas apenas adiado. Não aconteceu. A data passou sem novidades. As novidades chegaram dois dias depois na forma de um traço cor-de-rosa que de tão ténue quase não se via. E poucos dias depois chegaram as dúvidas e os receios. Vários pequenos sinais que me passariam completamente despercebidos não fosse a perda do Verão passado. Pequenos factos, irrelevantes para a maioria, mas que me deixam em sobressalto. Nuns dias prendo-me às evidências e sinto que a história se repetirá mais uma vez, noutros dias sigo as sensações que me fazem crer que é desta. Tudo indefinido. E eu aqui nesta espera feita de dor e de esperança, conforme a altura do dia. Para já posso dizer que estou grávida, pela segunda vez na vida, pela segunda vez desde que estou em Itália, grávida pela segunda vez em nove meses.

(Lago d'Orta este fim-de-semana)

7 comentários:

  1. Parabéns! E vai tudo correr be, vais ver.

    ResponderEliminar
  2. Que bom!!!!!!!!!!!!!!!

    Estou muito feliz por ti! E desta vez vai tudo correr bem, vais ver! Um grande beijinho!

    ResponderEliminar
  3. Ainda que a siga há muito tempo, só hoje aqui participo para lhe desejar que os próximos meses decorram calmamente!
    Vai ser uma feliz espera... E parabéns!

    ResponderEliminar
  4. Bem me parecia... Sabes o que é torcer com muita força por alguém que não se conhece?! É isso que estou e vou fazer por ti :) PARABÉNS!!! Muitas, muitas, muitas, todas as felicidades :) Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. Obrigada a todas :-) Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Vai correr tudo bem! Desfruta!

    ResponderEliminar
  7. Parabéns!!
    Nossa, que legal. Curta bastante, vai dar tudo certo. Creia!

    ResponderEliminar